Austrália, França, Sérvia e Bélgica são as semi-finalistas da Taça Davis

0

O último dia da eliminatória dos quartos de final da Taça Davis no Grupo Mundial prometia ser crucial para as aspirações de Estados Unidos e Itália, equipas que na jornada de sábado conseguiram vencer na Austrália e na Bélgica mas que mesmo assim tinham de dar a volta a uma desvantagem de 2-1.

Na Austrália, Nick Kyrgios defrontou Sam Querrey e necessitou apenas de três sets para vencer por 7-6(4), 6-3 e 6-4 e qualificar a Austrália para as meias-finais da prova. Sam Groth e John Isner disputaram o último jogo apenas para cumprir calendário, tendo o norte-americano vencido por 7-6(5) e 7-6(3). A eliminatória terminou assim com o resultado de 3-2 para a Austrália.

Em França, os jogos deste domingo apenas serviram para cumprir calendário, uma vez que o Reino Unido, ao perder este sábado o jogo de pares, fixou o marcador com 3-0 para a França. Hoje, Daniel Evans ainda venceu Julien Benneteau por 6-1 e 6-2, terminando depois a eliminatória com 4-1 para a equipa gaulesa na sequência do triunfo de Jeremy Chardy por 6-4 e 6-4 sobre Kyle Edmund.

Em Belgrado, a Sérvia, já com o apuramento conseguido na jornada deste sábado, apenas teve de cumprir calendário diante da equipa espanhola. O sérvio Dusan Lajovic venceu Jaume Munar com os parciais de 2-6, 6-1 e 6-4 e foi no último jogo que a Espanha conseguiu vencer a única partida da eliminatória, com Albert Ramos-Viñolas a bater Nenad Zimonjic por 6-2 e 6-2 ao cabo de 45 minutos de contenda. A eliminatória terminou com 4-1 para a equipa dos Balcãs.

Na Bélgica, a Itália tinha de ganhar os dois jogos deste domingo para conseguir o apuramento para a ronda seguinte mas tal não aconteceu. David Goffin impôs um 6-3, 6-3 e 6-2 a Paolo Lorenzi e deitou desde loho por terra as esperanças da equipa transalpina, que na segunda partida do dia, com Alessandro Giannessi, venceu a Joris de Loore por 6-4 e 7-6(9). A eliminatória terminou com 3-2 para a Bélgica.

Leia também:

About Author

Praticante desde cedo, seguidora uns anos mais tarde mas sempre com a esperança que o ténis português, em especial o feminino, consiga um dia chegar ao topo.