Agente de Sharapova e a polémica dos wild cards: “Todos os torneios WTA me ligaram. Todos”

0

A suspensão de 15 meses que Maria Sharapova enfrentou devido ao uso de doping pode, de acordo com o agente da russa, Max Eisenbud, ter prolongado a duração da sua carreira até pelo menos 2020, mais concretamente até aos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Em declarações à CNN, Eisenbud afirmou que “se [a suspensão]não tivesse acontecido, este provavelmente seria o último ano dela [Sharapova], acrescentando ainda que “ela deverá jogar até Tóquio se estiver saudável”.

Sharapova, que regressa ao circuito no WTA de Estugarda, a 26 de abril, tinha vindo a lutar contra várias lesões no último ano e, ainda de acordo com o seu agente, “o seu corpo estava em má forma”. Agora, no entanto, tudo parece estar diferente e Max Eisenbud revela que a tenista nascida na Sibéria está novamente saudável e que a paragem prolongada lhe deu “uma terceira carreira”. “Eu vi o treino dela na semana passada e fiquei estupefacto com o quão motivada e bem ela estava”, acrescentou.

Atualmente sem ranking, devido à inatividade, Sharapova necessita de wildcards para jogar os grandes torneios e para além de Estugarda, também as organizações dos torneios de Roma e Madrid convidaram a antiga número um mundial para jogar o quadro principal, na preparação para Roland Garros. E poderão não ser os únicos: “Todos os torneios WTA me ligaram. Todos”, concluiu Eisenbud.

A suspensão de Maria Sharapova termina a 25 de abril, um dia antes da russa entrar em court pela primeira vez desde janeiro de 2016, na cidade alemã de Estugarda.

Leia também:

About Author

Daniel Sousa