Robin Haase no top-50; Sam Querrey perto dos 25 primeiros

0

No setor masculino foram três os torneios que nos acompanharam ao longo da semana passada: o ATP 500 do Dubai, o ATP 500 de Acapulco e o ATP 250 de São Paulo. Os campeões destes torneios foram, respetivamente, o número um mundial, Andy Murray e Sam Querrey. A final do torneio de São Paulo ainda está a ser disputada à data da composição deste artigo.

Esta semana asssistimos a uma alteração no top-10, com Marin Cilic a ganhar uma posição, ascendendo ao 7.º lugar e Jo-Wilfried Tsonga a perder uma posição, fixando-se em 8.º. Robin Haase foi semifinalista do torneio ATP 500 do Dubai, o que o levou a uma escalada de 19 lugares até ao 47.º posto. Sam Querrey, vencedor em Acapulco, subiu 14 postos e fixou-se na 26.ª posição, a nove lugares da sua melhor posição de carreira.

Fernando Verdasco disputou a final do ATP 500 do Dubai com Andy Murray e cedeu em dois sets, mas reentrou hoje no top-30. O espanhol está atualmente na 29.ª posição.

  1. (1) Andy Murray, 12040 pontos
  2. (2) Novak Djokovic, 9825
  3. (3) Stan Wawrinka, 5195
  4. (4) Milos Raonic, 5080
  5. (5) Kei Nishikori, 4730
  6. (6) Rafael Nadal, 4415
  7. (8) Marin Cilic, 3590
  8. (7) Jo-Wilfried Tsonga, 3480
  9. (9) Dominic Thiem, 3375
  10. (10) Roger Federer, 3305

(…)

26. (40) Sam Querrey, 1480
29. (35) Fernando Verdasco, 1325
47. (66) Robin Haase, 923

Portugueses:

João Sousa mantém-se na 37.ª posição. Gastão Elias sobe, na atualização desta segunda-feira, 3 lugares e fixa-se em 95.º, contabilizando assim mais uma semana dentro dos cem primeiros. João Domingues cede 7 posições e está em 313.º lugar.

37. (37) João Sousa, 1100 pontos
95. (98) Gastão Elias, 604
196. (191) Pedro Sousa, 290
313. (306) João Domingues, 160
390. (390) Frederico Silva, 116
422. (422) Gonçalo Oliveira, 100
432. (432) Fred Gil, 95
570. (570) João Monteiro, 56
579. (575) André Gaspar Murta, 54

Leia também:

About Author

Pedro Cunha

O ténis apareceu na minha vida como apenas mais um desporto mas rapidamente o cheiro das bolas e o pó cor de laranja da terra batida onde pratico tornaram a minha vida melhor. Desde o som das pancadas, ao simples abrir de uma lata nova de bolas, tudo neste desporto tem encanto.