Emanuel Couto: “Os resultados do Duarte neste início de época não são uma grande surpresa para mim”

0

Duarte Vale esteve esta manhã muito perto de fazer mais história para o ténis português, em concreto no escalão júnior, ao ceder apenas no super-tiebreak da terceira e decisiva partida da grande final de pares do Australian Open de sub-18. Ao Ténis Portugal, Emanuel Couto fez um resumo do encontro do seu pupilo.

“Foi um bom jogo, se calhar até foi o que teve melhor nível de parte a parte. Não entraram bem no início, mas a partir do momento em que entraram no jogo foi muito disputado até ao final. A única coisa que diria que faltou um bocadinho foi, no primeiro jogo do segundo set, a servir e depois de ganharem o primeiro duríssimo, alguma concentração e intensidade. Descomprimiram um bocadinho, perderam o serviço e já não conseguiram quebrar de volta. No super-tiebreak, os adversários foram melhores e mais consistentes, principalmente a responder ao serviço”, disse em primeira instância.

Para o técnico do Clube de Campo Quinta da Moura, fica mais uma experiência ímpar para Duarte Vale. “Foi uma semana intensa, connosco rodeados de excelentes jogadores, num ambiente incrível, com condições de treino e de jogo fantásticas. São semanas em que os jogadores observam e aprendem muito e acaba por ser um prémio para eles só o facto de poderem estar presentes e disputar um torneio destes. Só num dia, nos campos de treino ao nosso lado, estava a Serena, o McEnroe, Nadal e Chang. O que se retira principalmente desta semana é poder treinar e competir com os melhores juniores do mundo e poder ver de perto os craques. É obviamente uma motivação extra para estes jovens”, frisou.

Apesar do desaire na final, o número um nacional de juniores realizou a sua melhor campanha, tanto em singulares como, obviamente, em pares, em provas do Grand Slam até à data. “Estes resultados do Duarte neste início de época não são propriamente uma grande surpresa para mim. Ele é neste momento um dos melhores jogadores do circuito juvenil e as ambições continuam a ser as mesmas: trabalhar no máximo das capacidades para chegar sempre o mais longe possível. Umas vezes as coisas correm bem, outras menos bem, mas o foco tem que estar sempre no trabalho diário e no rendimento máximo. A partir daí tudo no geral vai correr bem”, analisou.

Por fim, Emanuel Couto revelou a calendarização de Duarte Vale para os tempos que se avizinham. “Para estes próximos meses, a ideia em termos competitivos passará mais por jogar Futures no estrangeiro e em Portugal. Um ou outro torneio júnior mais para garantir entradas nos torneios de Grand Slam, mas a aposta recairá essencialmente nos Futures”, afincou.

Leia também:

About Author

Natural da Ilha do Pico, Açores. Estudante do 2.º ano do curso de Direito da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Amante da modalidade desde a adolescência.