Garbiñe Muguruza conquista primeiro título do Grand Slam em Roland Garros

0

Há dois anos, em Roland Garros, uma jovem espanhola de 20 anos que disputava o seu 13.º encontro em torneios do Grand Slam surpreendia a poderosa Serena Williams ao impor-lhe uma derrota por 6-2 6-2. Essa jovem era Garbiñe Muguruza e, este sábado, a tenista espanhola voltou a levar a melhor sobre a líder do ranking mundial para conquistar o primeiro título do Grand Slam da sua carreira.

Em jogo, para Serena, estavam vários recordes e muita história poderia ser escrita. A norte-americana tinha muito mais a perder do que a espanhola, que jogava sem a pressão dos números e o sem o peso do favoritismo. O frente a frente registava uma vantagem para a mais velha das duas jogadoras (3-1), com todos os encontros a terem sido disputados em torneios do Grand Slam, mas o único duelo em Roland Garros havia sido ganho por Muguruza.

Caso vencesse, Williams igualaria o recorde de número de títulos do Grand Slam de Steffi Graff conquistados na Era Open (ao todo 22), conquistaria pela quarta vez o título em Roland Garros, tornando-se na segunda jogadora, a par de Graff, a vencer pelo menos quatro títulos em cada um dos diferentes torneios do Grand Slam, e defenderia pela primeira vez o título no Major francês.

A norte-americana também tinha a possibilidade de se tornar a mais velha jogadora de sempre a conquistar o torneio parisiense e seria a quarta jogadora com mais títulos na história de Roland Garros, a par de Justine HeninHelen Wills Moody.

Já para Muguruza, seria a conquista do primeiro título do Grand Slam na sua segunda final da carreira e caso vencesse, seria a primeira jogadora espanhola a vencer Roland Garros desde Aranxta Sanchez Vicario (1998). A tenista nascida na Venezuela, mas naturalizada espanhola, tinha apenas 8 anos quando Serena conquistou o seu primeiro Major em Paris.

Ambas as jogadoras entraram muito bem no encontro, a quererem controlar os pontos e, apesar das grandes respostas ao serviço por parte de Serena Williams, Muguruza revelou-se muito forte no capítulo do primeiro serviço e na altura dos pontos importantes a espanhola saiu sempre por cima. Assim, a primeira quebra de serviço à passagem do quinto jogo por parte de Muguruza não foi de estranhar. Contudo, Serena começou a aparecer mais nos pontos importantes e ao oitavo jogo do parcial haveria de recuperar o break.
Porém, numa grande demonstração de determinação e vontade, Muguruza partiu novamente para a agressividade na resposta ao serviço e fez uso da potência da sua direita para voltar a quebrar o saque à número um do mundo, tendo de seguida servido com sucesso para fechar a primeira partida, salvando ainda dois break points pelo meio com dois grandes primeiros serviços.
No segundo set, ainda com o ímpeto da vitória na primeira partida, a número quatro mundial manteve um nível elevado na resposta ao serviço, quebrou o saque de Williams logo no primeiro jogo do parcial e parecia embalada para o triunfo. No entanto, o serviço, que até então tinha sido tão fiável, traiu Muguruza e três duplas faltas no seu saque levaram Serena a recuperar o break. Sem baixar os braços, nova quebra de serviço surgiu a favor de Muguruza, que sempre soube dar o melhor uso à potência da sua pancada de direita para desequilibrar Serena, quer com bolas cruzadas, quer com bolas paralelas.
Depois do festival de breaks no início do parcial, Muguruza surgiu mais sólida nos seus jogos de serviço e sempre disposta a pressionar o saque de Serena Williams, que ia revelando enormes dificuldades para conter as pancadas da espanhola, sobretudo as pancadas de direita paralelas, que causaram enormes desequilíbrios a favor de Garbiñe Muguruza.

Assim, a tenista nascida na Venezuela mas naturalizada espanhola, tirando também algum proveito do facto deste ser o quarto dia consecutivo em court para Serena Williams, partiu para a maior vitória da sua carreira, alcançada ao cabo de uma hora e quarenta e quatro minutos com parciais de 7-5 6-4, vingando dessa forma a derrota na final de Wimbledon da temporada passada e garantindo a subida à segunda posição do ranking mundial.

Com a derrota na final, Serena Williams volta a não conseguir alcançar o recorde de Steffi Graf no que a títulos do Grand Slam na Era Open diz respeito (22), algo que já havia acontecido no Australian Open, onde a veterana norte-americana viu a germânica Angelique Kerber conquistar o título.

Leia também:

About Author

Daniel Sousa