Fred Gil on Tour – 6.ª Edição

0

A sexta edição da rubrica Fred Gil on Tour chega-nos diretamente de Hammamet. A disputar o quadro de pares do Future tunisino, onde atingiu as meias-finais, Fred Gil fala sobre as últimas semanas de competição, com destaque para o Open de São Domingos, no São João Ténis Clube, onde se sagrou vice-campeão na variante de pares e campeão em singulares. Imperdível:

Têm sido umas semanas boas em termos de resultados para mim. Voltei a ganhar confiança no meu jogo e estou com muitas vitórias em pares, o que também ajuda na questão da competição.

Competir é uma arte realmente, só alguns o conseguem fazer de forma extrema. Há muitos aspectos a serem limados, trabalhados e treinados. O Catalin Gard, meu parceiro de pares, tem-me dado uma boa ajuda e também como treinador tem-me dado bons conselhos. Fiz uma excelente semana em Benfica, no Open de São Domingos, e estou mais confiante para o que aí vem.

Preciso de continuar a dar seguimento ao bom trabalho que tenho vindo a fazer e acreditar ainda mais no que ainda posso conseguir realizar. Em singulares, acho que dei um passo importante estas semanas e era o que precisava de conseguir para seguir ainda mais forte.

Vejo que estes torneios em Portugal ajudam muito o nível do nosso ténis e fiquei muito contente por ter ganho o Open de São Domingos. Senti um ambiente muito especial no dia da Final, estavam imensas pessoas a assistir e é sempre bom jogar diante o nosso publico. Pelo menos, eu gosto muito e faz-me superar-me. Tenho trabalhado bastantes aspectos do meu jogo e sinto-me a jogar bem novamente.

Acho que por agora é tudo! ?

Leia também:

About Author

Fred Gil

Fred Gil tornou-se, em 2010, no primeiro tenista português da história a chegar à final de singulares de um torneio ATP, sagrando-se vice-campeão do Estoril Open. Ao longo da carreira, somou inúmeras vitórias que o levaram a adquirir o estatuto de melhor tenista português de sempre, tendo, em abril de 2011, chegado ao 62.º lugar do ranking ATP para, à data, se tornar no tenista português com melhor classificação de sempre. No ano de 2011, surpreendeu o número 10 mundial e 8.º cabeça de série Gael Monfils para se estrear em quartos de final de torneios ATP Masters 1000 (em Monte Carlo). Na temporada seguinte, chegou à terceira ronda do Australian Open e sagrou-se vice-campeão de pares do ATP 250 Viña del Mar.