Nicolas Almagro satisfeito com final que teve “luta, atitude e tensão”

0

O vencedor do Millennium Estoril Open, Nicolas Almagro, saiu satisfeito desta final frente a Pablo Carreño Busta, num encontro que só ficou concluído ao cabo de três partidas. “Houve luta, atitude, tensão. Momentos de bom ténis e também de mau ténis”, disse o tenista de Múrcia, que voltou aos títulos quatro anos depois.

Depois da vitória o foco da conferência de imprensa nem foi tanto o encontro em si, mas sim o regresso aos títulos do ex-top10, Nicolas Almagro. O tenista espanhol falou durante toda a semana na importância da família e dos amigos e voltou a “repetir a receita” neste rescaldo, reforçando a importância da sua mulher nestes últimos anos.

“A minha mulher ajuda-me a enfrentar os momentos difíceis. Não sabia que alguém me podia fazer tão bem como ela”, disse Nicolas Almagro, sublinhando ainda a importância “das sete ou oito pessoas que sei que estão sempre comigo e me querem bem”, neste seu momento menos positivo. Ainda assim, “apesar de serem anos tenisticamente maus, pessoalmente foram bons. Houve tempo para estudar e para organizar a minha vida depois do ténis”, revelou Almagro.

O vencedor da segunda edição do Millennium Estoril Open disse ainda esperar poder agora conquistar “alguma regularidade, que me tem faltado” e que “apesar de estar fisicamente destroçado espero aparecer bem em Madrid, com a motivação extra de jogar em casa”.

O tenista de Múrcia passou David Ferrer no número de títulos conquistados em terra batida, em todo o circuito ATP, estando agora apenas atrás de Nadal, um facto que o marcou pela positiva, embora reagindo com boa disposição ao dizer que “agora só me faltam alguns 50 títulos para ultrapassar Nadal”.

Leia também:

About Author

Colaborador desde 2014. Praticou ténis durante mais de dez anos e é o vice-presidente do clube de ténis da sua terra natal, Almeirim, tendo já colaborado com várias publicações da modalidade.