¡Gracias, señores! Almagro bate Carreño e sagra-se campeão no Estoril

0

Foi no Clube de Ténis do Estoril que Nicolas Almagro se reencontrou com os títulos. O experiente tenista de 30 anos apareceu em solo português no 71.º posto do ranking, mas o nível que exibiu durante a semana deixou claro que pertence a outro patamar. A quinta final 100% espanhola (contando com as edições do extinto Estoril Open) que teve lugar em Portugal (primeira desde 2001) colocou frente a frente Nicolas Almagro a Pablo Carreño, com o antigo número 9 mundial a sagrar-se campeão da segunda edição do Millennium Estoril Open, naquele que é o seu primeiro título desde maio de 2012.

Se por um lado Carreño, um “novato” em finais do escalão máximo ATP (disputou este domingo a segunda da carreira), procurava concretizar o sonho de conquistar o primeiro título em torneios do ATP World Tour, por outro lado Almagro, uma “velha raposa” e com créditos firmados no circuito, estava em campo para arrecadar o 13.º título da carreira (todos em terra batida), e assim foi. O primeiro duelo de carreira entre ambos no circuito profissional durou 2h46 e ficou decidido com os parciais de 6-7(6) 7-6(5) 6-3 favoráveis ao tenista de Múrcia.

A primeira partida foi imprópria para cardíacos: Almagro serviu por duas vezes para sair na frente do marcador (a 5-4 e a 6-5), mas acusou o momento e Carreño não se fez rogado. No tie-break, quando tudo parecia estar a correr de feição ao mais velho dos espanhóis, foi Carreño a sair por cima depois de vencer seis (!) pontos consecutivos.

O segundo set conheceu contornos algo semelhantes em relação ao parcial inaugural, dado que Almagro voltou a dispor de serviço (neste caso a 5-3) para levar desde logo a final a uma terceira partida, mas só no desempate é que conseguiu finalmente “roubar” o primeiro set do torneio ao jovem sensação de 2013 – estava quebrada a resistência de Pablo Carreño.

A decisiva partida foi de sentido único, com Almagro a conseguir o break à passagem do terceiro jogo, tomando definitivamente as rédeas do encontro entre dois tenistas que têm na terra batida a sua “praia” e que proporcionaram um bom espetáculo de ténis ao público que encheu as bancadas do Estádio Millennium e aos telespectadores que acompanharam a emissão em direto levada a cabo pela RTP2.

Com o título conquistado no Estoril, Nicolas Almagro vai reentrar no lote dos 50 primeiros da lista ATP na atualização de rankings desta segunda-feira, dia 2, e torna-se assim no quarto tenista que bate a esquerda a uma mão a triunfar em Portugal de forma consecutiva (Wawrinka em 2013, Berlocq em 2014 e Gasquet em 2015). Recorde-se que o último tenista espanhol a sair de Portugal com um título ATP na bagagem foi o veterano Albert Montañes, em 2010, após ter derrotado Fred Gil (na altura Frederico Gil), por 6-2 6-7(4) 7-5, no Jamor.

Leia também:

About Author

Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação pelo ISCTE. Considera-se um privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.