Fred Gil on Tour – 1.ª Edição

0

Com o desenrolar das primeiras semanas de competição deste ano de 2016, o Ténis Portugal abre uma nova secção dedicada aos relatos na primeira pessoa de Fred Gil pelo circuito mundial. Primeiro tenista português da história a disputar a final de um torneio ATP, o jogador sintrense aceitou o convite feito pela nossa equipa e partilhará constantemente neste espaço as suas ‘aventuras’ um pouco pelos quatro cantos do globo.

“Olá. Escrevo-vos desde a Tunísia, foi a minha primeira semana do ano a competir. Em singulares não me correu como esperava (fui eliminado na 1ª ronda) e em pares atingimos a final (eu e Pedro Sousa). O Pedro ganhou o torneio em singulares e sabem o engraçado? Só ontem, depois de ter ganho o torneio, é que foi ao ginásio. Um ginásio pequeno dentro do hotel, muitas vezes cheio de jogadores a alongar e trabalhar e o campeão da primeira semana nem pôs lá os pés. Curioso! Diz bastante acerca do ténis e preparação/competição. Ele fez sempre as suas rotinas fora do ginásio.

Foi uma semana em que jogámos dentro de um Hotel Resort com 8 campos de terra, de turismo claramente mas agora com vertente profissional ITF Tennis. Estão a ser torneios mistos, de homens e mulheres e o ambiente é engraçado, faz-me lembrar quando era júnior e jogava o circuito mundial. O nosso dia a dia é passado dentro do Hotel, os jogadores podem eleger meia pensão ou pensão completa, têm um buffet bom para desportistas.

Existe uma equipa de animação que entretem os jogadores e treinadores durante os tempos mortos e durante muitas horas vemos os campos cheios com jogos e/ou treinos. As regras do circuito ITF são um pouco diferentes do circuito ATP mas conta tudo para o mesmo ranking mundial. São torneios pequenos mas internacionais e o nível é bastante alto pois estamos todos à procura de pontos e ritmo para subir no ranking. Vê-se e sente-se bastante competição mas também existe um lado mais chegado e de companheirismo.

Hoje em dia, vejo mais profissionalismo nos treinadores e jogadores. Mais focados que antigamente e com mais armas (físicas, técnicas e mentais) para competir. Esta semana [18 de janeiro] eu não vou competir mas vou preparar-me para a 3ª semana. Eles disseram que vão organizar 40 semanas de torneios seguidas naquele Hotel. Incrível! Hoje em dia é como um negócio para eles. Nós ficamos alojados no Hotel, pagamos lá as refeições, encordoações, extras e eles organizam.

Já me sinto um pouco mais velho que muitos dos jogadores que ali estão mas é super duro ganhar e triunfar ali. Todos eles têm garra e vontade. O nível hoje em dia é mais alto. Estou a trabalhar para me pôr em forma novamente e atingir os meus objetivos de carreira. Tenho a sorte de ter saúde, ainda dinheiro para investir e vontade para continuar. Tenho feito algumas alterações no meu jogo e ainda estou a consolidá-las. O tempo passa a correr e tenho que me despachar 😉

Gostava de agradecer aqui a quem me tem ajudado e me permite, hoje em dia, estar assim como estou. Volto em breve.”

Leia também:

About Author

Fred Gil

Fred Gil tornou-se, em 2010, no primeiro tenista português da história a chegar à final de singulares de um torneio ATP, sagrando-se vice-campeão do Estoril Open. Ao longo da carreira, somou inúmeras vitórias que o levaram a adquirir o estatuto de melhor tenista português de sempre, tendo, em abril de 2011, chegado ao 62.º lugar do ranking ATP para, à data, se tornar no tenista português com melhor classificação de sempre. No ano de 2011, surpreendeu o número 10 mundial e 8.º cabeça de série Gael Monfils para se estrear em quartos de final de torneios ATP Masters 1000 (em Monte Carlo). Na temporada seguinte, chegou à terceira ronda do Australian Open e sagrou-se vice-campeão de pares do ATP 250 Viña del Mar.