Eugenie Bouchard avança com ações civis contra a USTA e o complexo do US Open

0

Eugenie Bouchard deu esta quarta-feira entrada a duas ações civis no Tribunal Distrital de Nova Iorque. Os ‘visados’ são a United States Tennis Association (USTA) e o Billie Jean King National Tennis Center of Flushing Meadows, onde uma vez mais se realizou o US Open.

Em causa está a queda e consequente lesão que a tenista canadiana sofreu na sala de fisioterapia dos balneários do torneio no último mês de setembro depois de um encontro de pares mistos e que a forçou a desistir do embate com Roberta Vinci, relativo à quarta eliminatória, e que mais recentemente a fez colocar um ponto final em toda a temporada de 2015.

As ações civis dão conta de vários pontos, entre os quais “1) os réus [USTA e o National Tennis Center] não ‘apresentaram’ avisos sobre o local perigoso nos balneários; 2) Bouchard sofreu uma lesão grave na cabeça que incluiu, e não se limita a, uma conclusão; 3) como resultado da desistência do US Open e restantes torneios, a sua classificação desceu 13 lugares e continuará provavelmente a descer.”

Nos documentos enviados ao Tribunal de Nova Iorque lê-se ainda que “o acidente e lesões dele resultantes só aconteceram devido ao descuido, negligência e desrespeito consciente da USTA, que teve conhecimento das condições perigosas do local” e que “Bouchard continua lesionada e tem sofrido perdas económicas [por não competir]e sido encarregue de grandes despesas médicas, não podendo ainda aproveitar a sua vida.”

Leia também:

About Author

Online desde 2010, o Ténis Portugal assume-se como uma publicação independente que ocupa uma posição de referência no panorama nacional tenístico.