Fashion Line: foi assim que ‘eles & elas’ se vestiram em Nova Iorque

0

Terminado o US Open 2015 e com todas as expectativas já ‘satisfeitas’, chega o momento de comentar o que os atletas desfilaram em pleno court. Além das questões estéticas, a escolha de um bom guarda-roupa condiciona a mobilidade, tornando-se num factor de peso para a prestação dos atletas, em cada partida.

Roger Federer: o tenista suíço apresentou-se com dois looks totais Nike: um conjunto de dia verde azulado que até o poderia salvar das críticas, se não fosse o seu conjunto de noite, quase todo ele branco com pequenos detalhes na gola e extremidades numa cor que se poderá caracterizar como salmão fluorescente. Como se não bastasse, o design da Nike peca também (e principalmente) nos ténis, que sendo da mesma cor das meias brancas, dá ilusão de Federer estar apenas calçado com umas meias com sola. Não foi uma aposta feliz.

Rafael Nadal: também o tenista espanhol se apresentou com dois looks totais Nike. Mas, se no caso de Federer, foi o conjunto de noite que pecou, no caso de Nadal foi o mesmo que se sobressaiu. Maioritariamente em preto e com a zona dos ombros e costas num padrão tropa na cor correspondente, o maiorquino conseguiu obter uma aparência mais feroz. Sem esquecer os ténis, que além de também possuírem lateralmente o mesmo padrão ainda possuíam a sua assinatura contrariando o conjunto de dia que mostrou pecar em excesso nas transições de cor. Sendo o verde escolhido já uma cor por si só bastante chamativa, bastava o degradê na parte superior do conjunto.

Novak Djokovic: voltou a não fugir à sua zona de conforto ao vestir novamente dois modelos clássicos e que poucas críticas podem despertar. A Uniqlo vestiu Djokovic entre os tons de vermelho, azul escuro e branco e o sérvo calçou Barricade 7 Novak Pro, modelo de ténis este que ajudou a criar e que é conhecido pelo seu excelente suporte e durabilidade.

Maria Sharapova: a tenista russa e ex-número 1 do ranking da WTA colaborou com a Nike para criar o seu conjunto, conseguindo chegar ao modelo super elegante Nike Queda Premier Maria. A base do vestido é em branco com alguns recortes nos sítios certos a preto, com perfurações para ventilação. Um conjunto bastante minimalista que jogando com alguns detalhes na textura consegue satisfazer até os mais exigentes na estética. Infelizmente, não chegou a entrar em campo…

Ana Ivanovic: a colecção Adidas Adizero do próximo Outono já está disponível há algum tempo e foi a versão nos tons de vermelho que vestiu a ex-número um mundial. De corte já bastante visto, foi uma opção segura em que se alguma imperfeição possa sobressair é porque faz parte do projecto em que todas as peças são feitas à mão.

Serena Williams: a Nike voltou a apostar num padrão animal (literalmente) para Serena. Depois de um conjunto bastante criticado por ser excessivo no que toca a cor e padrão pele de tigre, no US Open do ano passado, eis que este ano a aposta recaiu sobre o padrão a imitar pele de cobra. Mais contido, pois todo o resto do vestido foi dominado por preto excepto a faixa frontal. Desta forma, a Nike conseguiu encontrar o meio termo entre o funcional e adequado em court e a personalidade forte e “felina” com que Serena muitas vezes é caracterizada.

Caroline Wozniacki: a tenista dinamarquesa voltou a dar corpo à colecção da Stella McCartney, agora com um vestido menos arrojado mas não menos feminino, entre os tons pastel e o azul escuro.

Flavia Pennetta: a italiana vestiu um modelo da Adidas não muito feliz na sua disposição de cores, que acabaram por não realçar a sua forma física. Contudo, no que peca pelo lado estético, talvez se exceda no conforto e comodidade já que garantiu o título de campeã do US Open 2015 à atleta.

Clique na primeira imagem para aumentar/visualizar em ‘formato’ galeria:

Leia também:

About Author

Estudante na Escola Superior de Comunicação Social, optou pela vertente Audiovisual e Multimédia. Porque comunicar não se rege apenas de meios, mas sim de paixões e sem querer colocar a escrita de lado, fundou "The Brunette Lingerie", um blog de convicção íntima e um pouco de senso (ás vezes).