Ricardo Cayolla faz a análise final do US Open

0

Uma edição do US Open, na vertente masculina dentro da normalidade e na vertente feminina completamente louca. É esta a beleza do ténis e do desporto em geral onde prognósticos “só no fim do jogo…”

Na vertente masculina a vitória de Djokovic confirmou que o sérvio é o melhor jogador do mundo da atualidade – e com diferença de todos os demais – e está a caminho se ser um dos melhores de sempre da história do ténis. O que não é pouco. E isto numa época em que joga com dois super campeões como Nadal e Federer…

Embora não seja reconhecido, ainda, como o grande campeão que é, é uma questão de tempo. Federer faz um supertorneio, chega à final sem ceder um set e na final tem verdadeiras hipóteses de forçar um quinto set. Mas a demonstração de poder de Djokovic é clara na forma como salva o ponto de break no 3-4 do terceiro set: com um winner de direita. Um campeão vê-se nestas pequenas diferenças…

Na variante feminina a vitória de Pennetta é tão incrível como a presença de Vinci na final. A derrota de Serena perante Roberta Vinci é algo que é tão único e devastador como um tsunami: arrasa com todos os prognósticos e não deixa nada de pé (nem bilhetes…). Para Serena lá se foi o sonho de fazer o Grand Slam e de atingir os vinte e dois títulos, como Graf.

A pressão pôde com a norte-americana e Vinci faz um jogo onde a humildade foi preponderante para este desfecho inesperado (nas apostas as chances de Vinci eram de 1/300). A vitória de Pennetta contra Halep foi fácil demais o que a ajudou fisicamente na final. Mas a garra e a atitude de bela jogadora italiana ninguém discute. Final 100% italiana, com duas jogadoras que se conhecem desde os nove anos de idade, inédita quer na média avançada da idade, quer na nacionalidade.

É seguramente uma edição do US Open para recordar!

[Nota: Esta é a segunda de duas crónicas sobre o US Open de Ricardo Cayolla para o Ténis Portugal. Pode ler a primeira aqui.] 

Leia também:

About Author

Ricardo Cayolla foi jogador profissional de ténis. Atualmente é responsável pela Cayolla academia de ténis. É comentador convidado de ténis no Eurosport e autor de cinco livros de ténis. Doutorado em Marketing e Estratégia, é Professor na Universidade de Aveiro.