Flavia Pennetta: “Agora a minha vida é perfeita”

0

Primeiro Simona Halep, depois Roberta Vinci. As duas últimas rondas de Flavia Pennetta no US Open resultaram na passagem à sua primeira final de torneios do Grand Slam e à conquista do primeiro título. Agora, a italiana prepara cuidadosamente o adeus ao ténis profissional — um desporto que vê de forma diferente quando treina e quando compete.

A final não foi perfeita e foi um dos primeiros pontos a admitir na conferência de imprensa. Ao lado do troféu, depois da fotografia com o Primeiro Ministro italiano e do encontro com o seu namorado, Fabio Fognini, a caminho dos balneários, Pennetta aprontou-se a dizer que “o primeiro set foi muito dramático. Começámos as duas muito nervosas. Não é fácil jogar contra uma das minhas melhores amigas, contra alguém que conheço há tanto tempo. Não foi fácil lidar com isso, com a pressão, com tudo.”

“Muito orgulhosa de tudo” o que alcançou nas duas últimas semanas, Flavia Pennetta confirmou que se está a despedir do ténis. Os torneios de Wuhan e Pequim (e talvez o WTA Finals) serão os seus últimos enquanto tenista profissional. “Mas porquê [e apesar dos 33 anos] quando estás a jogar tão bem?”, perguntam-lhe os jornalistas na sala de conferências de imprensa. “Porque às vezes é difícil para mim competir. Quando estou no court, quando tenho de competir durante mais de metade do ano, passo as semanas a lutar e se não o fizer, se não o fizer como fiz hoje, não será bom. E eu sinto que nem sempre tenho essas forças, portanto este é o momento perfeito. Foi uma decisão muito difícil de tomar mas estou contente, estou muito contente e orgulhosa de mim.”

Como já tinha explicado a meio da semana, Pennetta é uma jogadora que adora treinar. “Eu consigo treinar todos os dias, é uma coisa de que gosto muito. Ser profissional e treinar, ir ao ginário, estar no court, tudo isso. Competir, no entanto, não é uma coisa de que goste sempre.”

“Com a vitória na final, a minha vida agora é perfeita. Não há outra palavra para a descrever, é perfeita.” E é com esta frase, de sorriso bem grande e com a alegria que lhe é típica, que Flavia Pennetta termina a sua última conferência de imprensa de sempre em Flushing Meadows.

Leia também:

About Author

Gaspar Ribeiro Lança

[email protected] | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.