Jelena Jankovic ‘abre’ um novo capítulo no circuito feminino

0

São poucas as jogadoras a um dia poder dizer que já passaram pelo topo do ranking mundial. Entre elas, está a sérvia Jelena Jankovic, atual 25.ª classificada, que a partir desde domingo pode também afirmar que tem um título WTA 125K no currículo. Até agora, é a primeira ex-líder do ténis a consegui-lo.

Inaugurados pela WTA em 2012, os torneios 125K são uma ‘segunda categoria’ do circuito profissional que, citando o próprio site oficial, têm como objetivo “dar uma oportunidade aos novos mercados de receber e transmitir um torneio profissional de ténis e oferecer às jogadoras de ranking inferior e às novas estrelas oportunidades adicionais de competir, angariar prize-money e pontos para o ranking.” No fundo, os eventos distribuem 115.000 dólares e ‘dão’ 160 pontos à campeão, estando acima do circuito ITF (cuja categoria mais alta conta com 100.000 dólares de prize-money e 150 pontos) e abaixo dos restantes WTA (a primeira categoria é a International).

Voltando a Jelena Jankovic, a tenista sérvia de 30 anos foi convidada para disputar o Jiangxi Women’s Tennis Open, em Nanchang, na China (o primeiro de seis WTA 125K previstos para 2015 — os restantes serão disputados em Dailan, Limoges, Hua Hin, Taipei e Carlsbad, até à semana de 23 de novembro) e ao entrar em campo para realizar o seu primeiro jogo tornou-se na primeira ex-número um mundial a disputar um evento desta categoria.

Com as vitórias, sempre contra jogadoras significativamente abaixo da sua posição no ranking, a sérvia foi avançando, avançando até chegar à grande decisão, onde na tarde deste domingo derrotou Kai-Chen Chang, 191.ª, por 6-3 7-6(6) (chegou a liderar por 5-2 no segundo parcial) para levantar o troféu de campeã, o primeiro da sua temporada, numa semana em que não cedeu um único set.

No final do encontro, Jelena Jankovic, muitas vezes apelidada de JJ, disse estar “muito feliz por conquistar este título no primeiro ano em que venho jogar o Jiangxi Women’s Tennis Open. Fiquei muito impressionada com a organização, o hotel, os apanha-bolas e os voluntários — adoro jogar na China! As pessoas são sempre muito simpáticas e prestáveis, trataram-me como uma princesa!” Para já, fica a promessa de fazer de tudo para regressar no próximo ano.

Também em Baku se fez a festa

Não foi só na China que se celebrou o ténis, muito pelo contrário. Se ontem a brasileira Teliana Pereira venceu o título em Florianopolis, perante os seus compatriotas, o segundo e último torneio WTA International da semana foi discutido em Baku, no Azerbaijão, onde a russa Margarita Gasparyan se estreou a vencer títulos ao derrotar Patricia Maria Tig, roménia oriunda da fase de qualificação, por 6-3 5-7 6-0 na grande final.

O elenco não era o mais forte dos torneios da categoria mas apresentava bastantes nomes merecedores de destaque. Como primeira cabeça de série surgia Anastasia Pavlyuchenkova (3-6 2-6 para Tig nas meias-finais), sendo que também Dominika Cibulkova (derrotada por Gasparyan logo na primeira ronda, por 3-6 5-7, vice-campeã do Australian Open em 2014, e Francesca Schiavone (perdeu por 4-6 2-6 para Donna Vekic na eliminatória inaugural), a campeã de Roland Garros em 2010, jogavam a prova, mas coube a Gasparyan, ainda com 20 anos e no 112.º posto da tabela feminina, a felicidade de erguer o troféu.

Leia também:

About Author

Gaspar Ribeiro Lança

[email protected] | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.