Bárbara Luz vence Campeonato Nacional Absoluto

0

À terceira é de vez. Foi preciso sobreviver a uma longa e equilibrada batalha, mas Bárbara Luz conseguiu mesmo quebrar a malapata e vencer pela primeira vez na sua carreira o quadro principal de singulares femininos do Campeonato Nacional Absoluto/Taça Guilherme Pinto Basto 2014.

Primeira cabeça de série do torneio e segunda melhor tenista portuguesa da atualidade no ranking individual feminino, a jogadora conimbricense encontrou em Inês Murta uma adversária muito difícil de ultrapassar e precisou de lutar por cerca de duas horas e meia até conseguir consumar a reviravolta e vencer o encontro, pelos parciais de 4-6 7-5 6-1.

Na reedição da final do Corroios Open 2014, na qual há algumas semanas Murta levou a melhor em três sets, foi Luz a primeira a procurar a vantagem e chegou mesmo a uma liderança de 3-1, mas a sua adversária viria a conseguir recuperar e, aos poucos, começar a construir uma liderança. Perante algumas cenas de espetadores, Inês (de apenas dezassete anos e campeã em título de júniores) manteve-se por cima do marcador e do embate nos minutos seguintes, até que Luz elevou o seu nível de jogo e pôs em prática toda a sua experiência.

Com o triunfo de hoje, Bárbara Luz conquista pela primeira vez o Campeonato Nacional Absoluto na vertente de singulares femininos, depois das finais perdidas em 2011 e 2013 para Maria João Koehler, e arrecada 2.000 euros (“que servirão para viajar para torneios”), ao passo que Inês Murta soma um vice-campeonato na sua primeira participação na prova rainha do ténis português e amealha 1.040€.

Ainda esta tarde, Rui Machado e João Domingues entrarão em campo para disputar a final de singulares masculinos, seguida da de pares, já depois de Rita Vilaça e Gonçalo Pereira e novamente Rita Vilaça, depois ao lado de Raquel Mateus, terem vencido as competições de pares mistos e femininos, respetivamente.

Leia também:

About Author

Gaspar Ribeiro Lança

[email protected] | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.