Serena domina Wozniacki e é tricampeã em Nova Iorque

0

E vão dezoito dos maiores títulos possíveis para Serena Williams! Se nas bancadas estavam vinte e dois milhares de espectadores que esperavam por um encontro bem disputado e equilibrado (talvez como os dois últimos entre ambas), a pressão acabou por ter um papel fundamental e impediu Caroline Wozniacki de lutar pelo encontro e pelo seu primeiro troféu Major. A número um mundial dominou d repete assim as vitórias dos dois últimos anos.

A história, o jogo e a experiência estavam a favor da mais nova das irmãs Williams. Serena conhece bem os palcos, as situações e sobretudo as emoções, pelo que difícil seria o título fugir-lhe das mãos. Não chegou a haver tempo para grandes imaginações e em cerca de setenta e cinco minutos confirmou o estatuto de primeira cabeça de série para derrotar a sua grande amiga dinamarquesa de apenas vinte e quatro anos pelos parciais de 6-3 6-3.

A disputar a segunda final da sua carreira em torneios do Grand Slam, exatamente cinco anos depois de ter perdido no mesmo estádio para Kim Clijsters, Wozniacki ficou na expectativa e apresentou-se particularmente nervosa; sem armas, sem capacidade de reação, cometeu mais erros (10+5) do que lhe é característico e somou apenas 4 pontos ganhastes (3 dos quais com ases). Os números dizem tudo, assim seria impossível debater-se com a oponente de hoje.

Numa final de amigas, foi então Serena, a mais experiente e mais forte, quem levou a melhor para fazer história e colocar-se a ‘apenas’ quatro títulos do recorde de Steffi Graf: 22. “É um prazer ter vencido aqui o meu primeiro torneio do Grand Slam e agora o décimo oitavo”, conseguiu afirmar Williams numa cerimónia de entrega de troféus em que se mostrou visivelmente emocionada e na qual as duas jogadoras refletiram a sua grande amizade com palavras de grande respeito e admiração antes de uma das sessões fotográficas mais divertidas de que há memória.

Leia também:

About Author

Gaspar Ribeiro Lança

[email protected] | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.