Rafael Nadal vence US Open 2013

0
Imbatível em piso rápido antes do US Open, imbatível em piso rápido depois do US Open. Esta é a história de Rafael Nadal em 2013, época em que disputou quatro torneios em hardcourts e conquistou quatro troféus (a que se adicionam ainda seis onquistados em terra batida), depois de esta noite ter derrotado Novak Djokovic para vencer pela segunda vez na sua carreira o ‘Major’ norte-americano.
Aos vinte e sete anos, Rafael Nadal conseguiu demonstrar uma vez mais ser o melhor tenista da actualidade ao alinhar uma exibição relativamente segura para derrotar o número um mundial ao cabo de três horas e vinte minutos de jogo, pelos parciais de 6-2 3-6 6-4 6-1.
Depois de um começo praticamente de sentido único e no qual o tenista maiorquino se mostrou superior ao sérvio, numa final que, à semelhança da feminina entre Serena Williams e Victoria Azarenka, foi disputada entre os dois primeiros cabeças de série, Novak Djokovic procurou nivelar o espectáculo e aumentar o seu nível de jogo, mas acabou por não conseguir atuar ao seu melhor nível perante um Rafael Nadal que, pela décima vez na presente época, pode celebrar a conquista de um torneio do circuito profissional – o segundo da categoria Grand Slam, depois de ter derrotado David Ferrer na final de Roland Garros.
Estatísticas do encontro:

[1] Novak Djokovic: 6 ases, 2 duplas faltas, 68% de primeiros serviços colocados (58% desses pontos ganhos), 22 de 36 pontos ganhos na rede, 3 de 11 break points convertidos, 46 winners, 53 erros não forçados, 102 pontos ganhos no total.
[2] Rafael Nadal: 1 ás, 1 dupla falta, 64% de primeiros serviços colocados (65% desses pontos ganhos), 17 de 23 pontos ganhos na rede, 7 de 12 break points convertidos, 27 winners, 20 erros não forçados, 121 pontos ganhos no total.
Na cerimónia de entrega de prémios, Novak Djokovic (tenista a disputar mais finais de torneios do Grand Slam na presente temporada – venceu o Australian Open, perdeu Wimbledon e o US Open) admitiu estar desapontado com o resultado, aproveitando para felicitar o adversário: “Quero dar os parabéns ao Rafa e á sua equipa, ele foi demasiado bom e merece ganhar este troféu. É despontante perder um jogo como este, mas uma vez mais ele esteve muito bem e sinto-me privilegiado por poder lutar por este troféu. Muito obrigado a todos pelo apoio.”
Também Rafael Nadal falou por breves instantes a todos os espectadores presentes no Artur Ashe Stadium, tecendo elogios ao tenista sérvio e confessando a importância desta final: “Estou muito emocionado, a minha equipa sabe o quanto este jogo significava para mim. Jogar contra o Novak é sempre muito especial. Nenhum jogar leva o meu jogo ao limite como ele e está de parabéns. Tenho a certeza de que ele vai terminar a carreira como um dos melhores jogadores de todos os tempos.”
Apesar do triunfo em Flushing Meadows, Rafael Nadal manter-se-à no segundo posto da hierarquia mundial masculina, sendo que Novak Djokovic tem garantida a presença no primeiro lugar até ao início do Masters 1000 de Xangai.
Em toda a sua carreira, Rafael Nadal conta já com treze títulos do Grand Slam conquistados, estando a apenas um de igualar Pete Sampras no segundo lugar da tabela de recordistas e quatro de alcançar Roger Federer, líder isolado.
Fotografia de Christopher Levy gentilmente cedida ao Ténis Portugal.

Leia também:

About Author

Gaspar Ribeiro Lança

[email protected] | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.