Idade não é obstáculo para Date-Krumm

0

Aos quarenta e dois anos, Kimiko Date-Krumm continua a somar vitórias no circuito mundial e, esta terça-feira, apurou-se pela sétima vez na sua carreira para a segunda ronda de Wimbledon, naquela que é a sua décima segunda participação no quadro principal de singulares do major britânico.
Número quatro mundial em 1995(!), a jogadora nipónica teve pela frente a alemã Carina Witthoeft, de apenas dezoito anos – nascida, portanto, em 1995 – e que se estreava no quadro de Wimbledon. Sem dó nem piedade, Date-Krumm (que no total conta com oito títulos conquistados nas quinze finais que disputou no circuito profissional, tendo feito a sua primeira aparição em Grand Slams na época de 1989) precisou de apenas quarenta e quatro-minutos para carimbar o triunfo pelos parciais de 6-0 6-2.
Semi-finalista de Wimbledon em 1996 (atingiu ainda as meias-finais do Australian Open e de Roland Garros, em 1994 e 1995, respectivamente), a japonesa é já a segunda jogadora mais velha de sempre a vencer um encontro no All England Club, depois de em 2004, e já com quarenta e sete anos, Martina Navratilova ter chegado à segunda ronda.
Mas quando (re)começou a carreira de Date-Krumm e qual é o segredo para ainda somar vitórias? Ausente do circuito durante cerca de doze anos (regressou por apenas uma semana em 2002, para disputar a competição de pares de um torneio profissional no seu país), Date-Krumm anunciou em abril de 2008 que se preparava para regressar à competição, quando já tinha 37 anos.

“Quando eu era mais nova estava sempre a treinar, a querer ganhar e a desejar chegar ao top10. Tinha muita pressão, pelo que não me divertia muito nessa altura. No entanto, desde que regressei ao circuito estou a aproveitar tudo muito bem, a gostar de jogar, mesmo quando perco.”

No entanto, nem tudo é fácil; a idade acaba por nem sempre perdoar e são necessários certos ajustes, como a própria voltou a reforçar após o triunfo de hoje: “Tenho de ter mais cuidado com o meu corpo, porque é cada vez mais difícil recuperar. Preciso de treinar muito a minha condição física, mas não o posso fazer em demasia porque senão fico cansada.”
Ultrapassada a primeira etapa em Londres, Kimiko Date-Krumm prepara-se agora para o duelo frente à romena Alexandra Cadantu, com quem nunca mediu forças anteriormente.
Fotografia de Richard van Loon gentilmente cedida ao Ténis Portugal.
ARTIGO ESCRITO POR GASPAR LANÇA PARA REGISTO PESSOAL A 25.06.2013 E PUBLICADO PELA PRIMEIRA VEZ NO TÉNIS PORTUGAL A 11.08.2013 (TENDO A DATA SIDO POSTERIORMENTE ALTERADA PARA A DA SUA ESCRITA).

Leia também:

About Author

Gaspar Ribeiro Lança

[email protected]rtugal.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.