Murray vence e repete final de Wimbledon

0
Depois da fantástica meia-final entre o suíço Roger Federer e o argentino Juan Martin Del Potro, o Court Central voltou a receber mais um excelente espectáculo no segundo encontro para apurar o último finalista dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 que terá a oportunidade de disputar no próximo Domingo a medalha de ouro para o seu país.
O escocês – que é britânico – Andy Murray deixou os adeptos da casa radiantes, conseguindo bater o número dois na hierarquia mundial Novak Djokovic ao cabo de intensas duas horas de encontro pelos equilibrados parciais de duplo 7-5 num duelo que acabou por ficar decidido nos pequenos pormenores.
Os dois jogadores equilibraram-se bastante dada a qualidade do serviço dos dois atletas o que permitiu que quase não existissem breaks ao longo de todo o encontro. No momento decisivo de ambas as partidas, Andy Murray venceu a guerra psicológica e quebrou por uma ocasião em cada partida, garantindo a vitória.
“Foi um ambiente inacreditável. É fantástico. Eu só queria tentar e ganhar uma medalha para a equipa, para o país e, por último, para mim. Estou tão feliz. Gostava imenso de ganhar a medalha de ouro. Antes de o torneio começar o objectivo era tentar e ganhar uma medalha. Tem sido um mês fantástico e um dos melhores da minha carreira. O apoio que tenho tido no último mês, depois de Wimbledon… Tenho precisado dele”, afirmou Andy Murray no final do encontro.
Já Novak Djokovic estava, naturalmente, infeliz no final do encontro: “Tive muitos pontos de break no segundo set. Em praticamente todos os jogos de serviço do segundo set tive hipóteses de conseguir o break, especialmente no 5-5. É uma derrota desapontante. Mas ele merece estar na final”.

Leia também:

About Author

Online desde 2010, o Ténis Portugal assume-se como uma publicação independente que ocupa uma posição de referência no panorama nacional tenístico.