Murray e Djokovic enfrentam-se nas ‘meias’

0
Djokovic controla Ferrer
O sérvio número um mundial não cedeu qualquer partida desta feita. Depois de precisar de quatro sets para derrotar o experiente Lleyton Hewitt, Novak Djokovic não teve dificuldades em dominar os pontos no fundo do court sobre David Ferrer.
Num encontro com vários pontos muito disputados e longos, era quase sempre Novak Djokovic quem levava a melhor. Apesar de algumas limitações a nível físico que o sérvio apresentou, o número um mundial esteve imperial e nunca permitiu David Ferrer adiantar-se no marcador.
No primeiro parcial, Novak Djokovic conseguiu realizar o break sobre o adversário quando o marcador estava a 2-2 e nunca mais o largou. Segurou sempre o seu jogo de serviço e venceu a primeira partida pelo parcial de 6-4.
A segunda partida foi a mais disputada de todo o encontro. Novak Djokovic conseguiu adiantar-se logo do início com um break, estando com vantagem de 2-0, só que Ferrer recuperou até ao dois igual. Num momento decisivo, Djokovic voltou a quebrar Ferrer e serviu a 6-5, só que o espanhol levou o set ao tie-break. Aí, foi na mesma Djokovic quem reinou e venceu por 7-4.
Já com poucas esperanças na vitória, David Ferrer baixou a intensidade e o nível de jogo na terceira partida. Tudo se tornou um pouco mais fácil para o número um mundial que conseguiu o break logo de entrada e controlou até vencer por 6-1.
Murray ultrapassa Kei Nishikori
O britânico Andy Murray conseguiu esta madrugada uma bela vitória para levar de vencida a jovem surpresa japonesa Kei Nishikori em apenas três partidas. Depois de Nishikori ter derrotado Tsonga na ronda anterior, não esteve ao nível do escocês.
Muito concentrado nos seus objetivos, Andy Murray entrou muito forte no encontro, realizando de imediato um break sobre Nishikori e adiantando-se para 3-0. Apesar de uma considerável diferença no marcador, os dois jogadores debateram-se a um nível incrível no primeiro set, mas o desgaste físico do japonês da ronda anterior fez-se notar, com Murray a vencer por 6-3.
Os restantes dois parciais foram mais tranquilos para o número quatro mundial da atualidade. Murray voltou a iniciar o parcial implacável retirando quaisquer crenças que o japonês poderia ter. Apresentando uma enorme consistência de jogo, as duas restantes partidas foram para Murray por 6-1 6-1.

Leia também:

About Author

Online desde 2010, o Ténis Portugal assume-se como uma publicação independente que ocupa uma posição de referência no panorama nacional tenístico.