Um gigante adormecido?

0

Filho de mãe sul africana e pai suíço, Roger Federer tinha como seu jogador favorito Pete Sampras. Antes de ser mundialmente conhecido pelas suas inúmeras vitórias no circuito ATP, Federer já havia sido número 1 mundial de júniores, campeão júnior de Wimbledon, quer em singulares quer em pares, finalista do US Open de júniores e ainda semi-finalista do Australian Open. Terminou a sua carreira de júnior vencendo o prestigiado Orange Bowl. Este ano apenas venceu o torneio Australian Open, deixando muito a desejar ficando-se pelos quartos-de-final de Roland Garros e de Wimbledon, títulos que havia vencido em 2009. No total da sua carreira tem 705 vitórias contra apenas 169 derrotas.
Roger começa a ser cada vez mais criticado pela sua crise de resultados. Se em 2009 surpreendeu ao conseguir vencer finalmente Roland Garros, desiludiu tudo e todos quando não venceu o US Open (chegando a liderar a final por 2 sets a 0) e quando ficou, em 2010, pelos quartos de final de Roland Garros e Wimbledon. Será que começa a ficar cansado? Estará na hora de haver outro número 1?
A verdade é que já o há. Rafael Nadal parece ser o candidato mais forte para substituir por um longo período o suíço no topo da hierarquia mundial mas sofre de graves lesões, o que deixa em aberto certos títulos para o sérvio Novak Djokovic, o escocês Andy Murray ou mesmo um jogador que consiga surpreender durante certos torneios. Estará na hora de se retirar, ou está simplesmente a atravessar uma má altura e irá voltar aos grandes títulos?
Para já, o suíço irá perder bastantes pontos do ranking, e convém concentrar-se em defender os títulos de Cincinnati e da final do US Open.
Vencedor de 62 títulos ATP, incluindo 16 títulos do Grand Slam, é “dono” de inúmeros records, incluindo:
– 16 títulos do Grand Slam (superando os 14 de Pete Sampras);
– maior número de meias finais consecutivas em Grand Slam’s (23, desde Wimbledom 2004 até ao Australian Open 2010) superando o record de Ivan Lendl e Rod Laver, que haviam ambos cumprido 10 meias-finais consecutivas;
– Roger Federer é o único tenista masculino a ter ganho, pelo menos, 5 títulos consecutivos em dois Grand Slams diferentes (2003-2007 Wimbledon e 2004-2009 US Open);
– Federer é o único a vencer dois Grand Slams em quatro anos consecutivos (2004-2007 Wimbledon e US Open);
– É ainda o único tenista masculino a vencer três Grand Slams por três anos seguidos;
– É o único a vencer 6 titúlos do Grand Slam em dois anos (2006-2007), 8 em três anos (2004-2006, 2005-2007), 11 em quatro anos (2004-2007), 12 em cinco anos (2003-2007, 2004-2008), 14 em seis anos (2004-2009), 15 em sete anos (2003-2009 e 16 em oito anos (2003-2010);
– Quando jogou a final do Australian Open 2010, Roger jogou a sua 22ª final em torneios do Grand Slam, batendo o record de Ivan Lendl, que havia jogado 19.
– Federer jogou sete finais consecutivas em Wimbledon (2003-2009);
– Federer é o único tenista, quer masculino que feminino, a estar no primeiro lugar do ranking por 237 semanas consecutivas, batendo o record de Steffi Graf (186 semanas);
– Federer já ocupou a primeira posição do ranking mundial durante 285 semanas, em dois períodos diferentes, uma semana a menos que Pete Sampras!;

About Author

[email protected] | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. Mais, sempre mais. Foi com o objectivo de fazer chegar este capítulo do desporto a mais adeptos que fundei o Ténis Portugal em 2010. Cinco anos depois, fui convidado a ser co-responsável pela redação dos conteúdos do website, newsletter e redes sociais do Millennium Estoril Open.

Leave A Reply

Licença Creative Commons
O conteúdo produzido pelo Ténis Portugal não pode ser modificado sem autorização por parte do responsável do projeto; para efeitos de divulgação, reprodução e utilização não comercial, requer-se a referência ao Ténis Portugal. Licença Creative Commons Attribution - Non Commercial - No Derivatives - 4.0 International.